Hyundai e Audi unem esforços

O Grupo Hyundai, que é o quinto maior construtor mundial de automóveis e um dos mais comprometidos com a tecnologia fuel cell (pilha de combustível), acaba de celebrar um parceria com a Audi para o desenvolvimento conjunto desta tecnologia. Conhece os termos deste acordo.

Hyundai, a par da Toyota, têm sido as marcas que mais têm apostado no desenvolvimento da tecnologia pilha de combustível. Ou seja, veículos elétricos cujos motores dispensam o recurso a baterias, em detrimento de uma célula de electroquímica cujo reagente (combustível) é o hidrogénio.

A marca coreana foi a primeira a introduzir no mercado um veículo de produção em série a hidrogénio, disponibilizando-os desde 2013. Atualmente vende veículos fuel cell em cerca de 18 países, liderando a ofensiva desta tecnologia no mercado europeu.

Face a estas credenciais, a Audi quis aliar-se à marca coreana para dar sequência à sua estratégia de eletrificação. Uma vontade que se traduziu na assinatura de um contrato de licenciamento cruzado de patentes entre as duas marcas. Doravante, as duas marcas vão trabalhar em conjunto no desenvolvimento de veículos com células de combustível a hidrogénio.

COMO FUNCIONA?
Esta tecnologia recorre a células de hidrogénio que através de uma reacção química produzem energia para o motor elétrico, tudo isto, sem necessidade das pesadas baterias. O resultado desta reação química é corrente elétrica e… vapor de água. Isso mesmo, apenas vapor água. Zero emissões poluentes.

Esta acordo significa que cada empresa partilhará o seu know-how, de forma aberta, no desenvolvimento e produção de veículos a pilha de combustível. A Audi poderá, por exemplo, aceder às informações usadas para o desenvolvimento do crossover a hidrogénio Hyundai Nexo e terá igualmente acesso aos componentes que a Hyundai fabrica para os seus veículos fuel cell através da sub-marca Mobis que foi criada para o efeito.

Apesar deste acordo ter sido assinado especificamente entre a Hyundai Motor Group — que também detém a Kia —  e a Audi — que é responsável pela tecnologia fuel cell no seio do Grupo Volkswagen — o acesso à tecnologia do gigante coreano é extensível aos produtos Volkswagen.

Hyundai e Audi. Um acordo desequilibrado?

À primeira vista, sem conhecermos os valores envolvidos nesta parceria, tudo leva a crer que a grande beneficiada com este acordo é a Audi (Grupo Volkswagen), que poderá assim aceder ao know-how e aos componentes do Grupo Hyundai. Dito isto, qual é a vantagem da Hyundai? A resposta é: redução de custo.

Nas palavras de Hoon Kim, responsável pelo departamento de R&D fuel cell da Hyundai, é uma questão de economia de escala. A Hyundai espera que esta cooperação contribua para um aumento da procura por veículos a pilha de combustível. Isto permitirá tornar a tecnologia rentável e também mais acessível.

Com uma produção entre 100 000 e 300 000 veículos ano por cada marca, a produção de veículos fuel cell será rentável.

Este acordo com a Audi poderá ter sido um passo importante na disseminação da tecnologia, rumo à sua democratização. E com os limites de emissões de carbono ainda mais restritivos até 2025, os veículos a pilha de combustível avizinham-se como uma das soluções mais viáveis para respeitar as normas de emissões.

Fonte: Razão Automovel

No comments yet! You be the first to comment.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *