Futuro Peugeot 208 GTI também em variante elétrica?

O futuro Peugeot 208 terá, pelo menos, uma versão 100% elétrica. Agora, surge a possibilidade de até o 208 GTI contemplar uma variante zero emissões.

O sucessor do atual Peugeot 208 será conhecido, publicamente, durante o próximo Salão de Genebra, a realizar em março de 2019. Entre as principais novidades, destaque para a estreia de uma variante 100% elétrica, mas, de acordo com as declarações de Jean-Pierre Imparato, CEO da Peugeot, à AutoExpress, poderá ser acompanhada de outras.

Revelarei tudo em março, mas eu não quero que o futuro seja aborrecido. (…) Quando compras um Peugeot, encontrarás design, a mais recente versão do i-Cockpit, e os níveis mais elevados de equipamento GT-Line, GT, e talvez GTI, porque eu não quero gerar nenhuma diferença entre modelos elétricos e motores de combustão; o cliente escolherá a motorização

Declarações que revelam várias possibilidades, deixando a porta aberta a um potencial Peugeot 208 GTI 100% elétrico, vendido em paralelo com o futuro 208 GTI de motor de combustão.

A Peugeot sabe “uma ou duas coisas” sobre variantes de elevadas prestações — RCZ-R,208 GTI e 308 GTI significaram um regresso de forma da marca francesa a este nicho do mercado —, e em 2015 demonstrou o que o futuro poderia reservar no capítulo das altas prestações, com a apresentação do protótipo 308 R Hybrid, um super hot hatch, híbrido, com 500 cv de potência e menos de 4s nos 0 aos 100 km/h.

Peugeot Sport já trabalha com eletrões

Apesar do projeto do 308 R Hybrid não ter chegado à produção, Imparato referiu que se trabalha afincadamente na Peugeot Sport no desenvolvimento de veículos de elevadas prestações eletrificados — prevê-se que o Peugeot 3008 receba variante híbrida desportiva com 300 cv proximamente.

Como todos os restantes construtores, também a Peugeot lida com o desafio dos futuros regulamentos de emissões a entrar em 2020, o que poderia colocar em causa o desenvolvimento de variantes desportivas. Mas segundo Jean-Pierre Imparato, existe uma solução, e chama-se eletrificação.

(…) os meus amigos da competição trabalham nalguns projetos para fazer os nossos clientes felizes com algo que é de alta performance e ao mesmo tempo compatível com os regulamentos [de emissões]. Como disse, não quero que o futuro seja aborrecido

Potência fácil

O CEO da Peugeot vai mais longe e afirma que, dentro de 10 anos, será muito fácil de atingir potências elevadas com os elétricos, deixando de ser um feudo exclusivo dos construtores premium. A eletrificação abre a possibilidade às marcas não premium de entrar em novos segmentos ou nichos: “terei oportunidade de colocar no mercado carros com 400 kW (544 cv) de potência. Isso muda tudo”.

Velocidade de transição

Segundo Imparato, a velocidade de transição para a eletrificação não será a mesma por região, ou seja, no mesmo país assistiremos a diferenças no ritmo a que o mercado absorve veículos elétricos: “Os indivíduos em Paris serão elétricos, os indivíduos que fazem 100 mil quilómetros por ano serão Diesel, e o indivíduo médio comprará gasolina. Mas todos estarão no mesmo 208.”

Confirmada também está a decisão de que não haverá modelos específicos na Peugeot exclusivamente elétricos, como alguns dos concorrentes. A Renault criou o Zoe, que vende em paralelo com o Clio, mas a marca de Sochaux prefere ter um mesmo modelo, neste caso o Peugeot 208, com diferentes motorizações, de modo a garantir experiências de condução semelhantes, independentemente da motorização.

Fonte: Jornal Dos Classicos

No comments yet! You be the first to comment.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *