V10 RWS é o mais divertido e exclusivo dos Audi R8!

Está, por fim, a chegar ao mercado aquela que poderá ser considerada a versão mais radical do Audi R8 e a que mais se aproxima dos modelos que vêm conquistando inúmeras vitórias nas pistas um pouco por todo o Mundo: o Audi R8 V10 RWS, significando esta última sigla “Rear Wheel Series“. Ou seja, ao contrário dos restantes Audi R8, que contam com o sistema quattro de tracção integral, o “RWS” tem apenas tracção traseira!

Isto torna-o numa máquina de condução muito mais pura e emocionante, em especial pelo tratamento específico dado pela Audi Sport ao chassis e à suspensão, de forma a permitir um deslizamento da traseira bem controlado, para aumentar a diversão ao volante! Porque, atrás do condutor/piloto está o motor V10 atmosférico (um dos derradeiros exemplares destas máquinas…) 5.2 FSI com 540 cv e binário de 540 Nm às 6500 rpm, muito semelhante ao que equipa os Audi R8 LMS GT4 de competição.

A vantagem de tracção traseira vê-se também na balança, com esta série “RWS” a ser 50 kg mais leve que o normal R8 V10, pesando 1590 kg o Coupé e 1680 kg o Spyder, ambos com distribuição de peso de 41:59 entre os eixos. O menor peso e a elevada potência permitem que o Coupé atinja os 100 km/h em escassos 3,7 s (mais 0,1 s para o Spyder), chegando aos 320 km/h (318 km/h o Spyder).

Por se saber que um carro destes com 540 cv e tracção traseira é um convite irresistível aos amantes do “drift”, a Audi tratou de afinar a suspensão e as ajudas electrónicas de forma a permitir que a traseira deslize com facilidade mas sempre sob controlo, desde que se seleccione o modo “dynamic” no botão do Audi drive select.

V10 RWS é o mais divertido e exclusivo dos Audi R8!

Os Audi R8 só de tracção traseira (RWS) serão feitos numa série especial de apenas 999 unidades, com uma placa numerada no “tablier”. Os bancos desportivos são em pela e alcantara mas, em opção, o R8 poderá receber verdadeiras “bacquets” de competição. Outra referência ao mundo das corridas é a opção decorativa de ter a banda longitudinal vermelhar, do “capot” à parte traseira, passando pelo tejadilho.

 Fonte: AquelaMaquina
No comments yet! You be the first to comment.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *